Este livro consiste em uma coletânea que reúne artigos escritos e/ou publicados de 2015 a 2020, dispersos em anais de congressos ou revistas científicas, todos eles textos nem sempre acessíveis aos professores, historiadores e teóricos de arte, designers, fotógrafos, ilustradores, jornalistas, enfim, todos os profissionais da visualidade a quem estes esforços acadêmicos se destinam. Há um manancial disponível para se trabalhar nas salas de aula tendo como eixo as intertextualidades, ou para fazer a autocrítica do trabalho pessoal de outros profissionais. São estudos que permitem estabelecer correlações entre diferentes momentos históricos das representações visuais, bem como entre produções provenientes das mais diversas culturas, até para poder enxergar melhor suas semelhanças e diferenças e remete-las para seus respectivos contextos. E aceitam, igualmente, a análise e a reflexão sobre imagens do cotidiano, úteis tanto para mostrar que não só de museus vive o homem, como para se perceber que as questões formais, porta de entrada para a apreensão da visualidade, estão presentes sem preconceitos tanto na arte quanto nas imagens da chamada cultura visual. Entretanto, trata-se de sugestões, são referências que cada profissional relacionará com seus objetivos, criando aplicações e metodologias de acordo com o perfil de seus interlocutores, ou seja, seu público-alvo. Como os esforços desenvolvidos pioneiramente no nosso país, com fundamentos teóricos sobre leitura de imagens, a proposta da publicação Intertextualidades Visuais também é aberta e está em permanente construção, em cumplicidade com as(os) profissionais que se expressam em linguagens visuais.

Cliente: Editora Estação das Letras e Cores (São Paulo/SP)
Ano: 2021
Website: www.estacaoletras.com.br